Quando Neil Young salvou o show do Pearl Jam em São Francisco, Califórnia

No dia 24 de junho de 1995, o Pearl Jam se apresentou no Polo Fields do Golden Gate Park, em São Francisco, Califórnia. Tudo correu bem até a sétima música, quando o vocalista, Eddie Vedder, sentindo fortes dores estomacais, jogou a toalha e abandonou o palco.

Para dar continuidade ao show, a banda recrutou Neil Young, que não tinha muitas opções a não ser tocar algumas faixas do álbum Mirror Ball, que seria lançado no dia 27 do mesmo mês (que contou com o próprio Pearl Jam como banda de apoio mas que, por motivos burocráticos, não pôde ser creditado como “Neil Young & Pearl Jam”).

Entre algumas faixas inéditas (que foram apresentadas ao vivo pela primeira vez) não faltaram clássicos como “Rockin’ In The Free World”, “Hey Hey, My My (Into The Black)”, “Cortez The Killer”, entre outros que não foram muito bem recebidos pelo público. Uma pena. Poderia ter sido um dos melhores shows improvisados de todos os tempos. Abaixo, o áudio completo do show.

Setlist
01. Last Exit
02. Spin The Black Circle
03. Go
04. Animal
05. Tremor Christ
06. Corduroy
07. Not For You
08. Eddie talking, Neil intro
09. Big Green Country
10. Act Of Love
11. Throw Your Hatred Down
12. Powderfinger
13. Truth Be Known
14. Rockin’ In The Free World
15. The Needle and the Damage Done
16. Hey Hey, My My
17. I’m The Ocean
18. Down By The River
19. Downtown
20. Cortez the Killer
21. PA Announcement, Jeff talking
22. Peace And Love
23. Rockin’ In The Free World

Norah Jones e Puss n Boots

Norah Jones é uma pessoa interessante. Filha de Ravi Shankar, a cantora deu os primeiros passos como artista em 1999, junto à banda Wax Poetic, onde não chegou a gravar oficialmente (mas participa do álbum NuBlu Sessions, de 2004).

Em 2002, já como artista solo, lançou o álbum Come Away With Me, um verdadeiro sucesso, que chegou ao Brasil como trilha romântica para novelas. Mas de lá pra cá, muita coisa mudou. A influência de inúmeros projetos paralelos (The Little Willies, El Madmo) e colaborações com nomes que vão de Mike Patton a OutKast fez com que a cantora se aventurasse por outros territórios musicais (e cinematográficos) – experiência que gerou bons frutos, como os álbuns Not Too Late (2007) e, principalmente, Little Broken Hearts (2012), produzido por ninguém menos que Danger Mouse.

Uma das melhores empreitadas de Norah Jones é o Puss n Boots, grupo formado pela baixista Catherine Popper (que já trabalhou com Ryan Adams e Grace Potter) e a também cantora e multi-instrumentista Sasha Dobson – além de Norah nas guitarras e vocais, claro.

Em julho de 2014, o power trio lançou o álbum No Fools, No Fun pela Blue Note Records. No repertório, cinco composições próprias e sete versões de bandas e artistas como Johnny Cash e Wilco.

Mas é a releitura de “Down By The River”, do mestre Neil Young, que merece destaque. Aqui, as seis cordas de Norah Jones desfilam livremente pelos acordes do velho deus canadense, absorvendo o verdadeiro espírito dos melhores solos de guitarra (simplesmente livres, sem obrigação de virtuosismo).